Adicionar ao Carrinho Esgotado Unavailable

O Meu Carrinho

Fechar

Já conhecem a Samoa?

Posted on

Entrevista à Samoa Kai, a rafeira mais humilde e querida de sempre, e aos seus humanos.

A conta de Facebook  “Samoa Kai and the Pitbull Love” é uma das melhores coisas que anda pela internet, Para além de ser uma modelo Tail Wag, a Samoa é defensora de causas muito importantes. Seguir a Samoa é sorrir todos os dias.

Falámos com a dona da Samoa, a Paula, que é fotógrafa e amante de cães.

Como e quando é que a Samoa entrou na vossa vida?

Nós, que somos cépticos em relação ao sobrenatural, pensamos que foi o destino. Eu estava a passar um momento muito difícil depois de perder um avô espectacular, que me era muito querido. Houve um dia (1 de Setembro) que vi no Facebook uma fotografia de um pequeno ser a dormir no chão (na página de um Hostel para cães de uma amiga). Comentei a fotografia: “Confesso que esta foto faz-me sentir nostálgica. Os olhos dela são tão parecidos com os do meu Oscar. Parabéns aos donos, porque se ela for metade do cão que o Oscar foi, eles são uns sortudos”. O Oscar, o meu Doberman de 16 anos, tinha morrido há um ano e foi o grande responsável pelo meu amor por cães e por ter escolhido estudar Veterinária. Passado 5 minutos recebi uma mensagem da minha amiga (dona do Hostel) a dizer: “Gostas mesmo dos olhos da Jackie? Ela está para adopção e precisa muito de uma pessoa como tu”.

Resumindo e concluindo, eu, que sou muito pouco impulsiva, olhei para o Ruben e disse algo parecido a: “Ruben, esta cadela precisa de mim, por isso, parece-me que a temos que adoptar”. A Jackie estava no Hostel em Torres Vedra e nós estávamos no Porto. Por isso, só a conhecemos uma semana depois de termos tomado a decisão de a adoptar.



Tu e o Ruben (Humanos da Samoa) tem um estúdio fotográfico onde realizam trabalhos incríveis. Fotografar cães é a vossa verdadeira vocação? 

Adoramos o nosso trabalho e fazemos todo o tipo de fotografias, mas ambos temos áreas de preferência distintas.

O Ruben, que tem formação em arquitectura e design gráfico, é mais orientado para fotografia de arquitectura e de produtos. Eu costumo trabalhar com moda, animais e comida. Não podemos dizer que fotografar animais é a nossa vocação porque é muito natural para nós. Somos felizes a trabalhar com animais porque é a nossa natureza. 

Como dona responsável e carinhosa, que conselhos de saúde e cuidado pode dar a outros donos?

Como dona e fanática de cães acredito que um dos melhores conselhos que posso dar é aproveitar ao máximo a companhia do vosso cão. Como acontece com as pessoas, tudo pode mudar rapidamente e é muito importante que vivam uma vida feliz e realizada juntos (infelizmente às vezes não tão longa como queríamos). Outro conselho que posso dar é boa comida, boas camas e boas coleiras (já conhecem o Tail Wag :P).

Fugindo ao tema, mas nem, penso que treinar os vossos cães é uma das formas mais simples deles serem felizes e que a vossa relação seja saudável.
A saúde mental é muito importante para nós. 

Podes nos revelar alguns segredos de como tirar boas fotografias aos nossos animais?

O nosso maior segredo é ter sempre biscoitos deliciosos nos bolsos ou no carro. Também estamos sempre preparados para fazer barulhos esquisitos na hora certa. 


Também falámos com a Samoa:

Samoa, conta-nos coisas sobre o espectáculo que tu és.

Bem, eu sou um espectáculo. E muito humilde também. Na nossa casa não há rótulos para os cães mas sempre tivemos curiosidade sobre a minha genética. Depois de alguma pesquisa descobrimos que eu sou um “Bull Lurcher”. Esta mistura entre Pitbull e Galgo é utilizada para tudo menos para o bem: corridas, lutas de cães e para caçar texugos.


Sabemos que sou um género de mistura de Pitbull e também sabemos que sou uma querida princesa que adora dormir ao colo e receber miminhos. Aliás, eu adoro qualquer actividade que inclua ressonar. Sou super brincalhona e adoro fazer truques (para me darem doces, claro). Adoro estar lá fora, adoro estár dentro de casa…eu adoro tudo na vida! <3

Gostas de falar sobre causas muito importantes. Quais são as mais especiais para ti?

Tenho grandes responsabilidades ehá dois assuntos que são muito importantes para mim. Primeiramente temos a causa dos Pitbulls. Não vos vou dar aqui uma seca e dizer que os Pitbull são cães muito bons (acreditem, somos meeeesmo) mas oiço mais vezes do que gostaria: “A Samoa é tão querida. Tem a certeza que é um Pitt?”. Bons donos fazem bons cães. E claro que todos os cães de todas as raças tem os seus dias maus, mas afinal de contas, somos todos animais, certo?

Outro assunto que me chateia muito é a neglegiência para com os animais e o seu abandono. Há tanto para dizer acerca deste assunto. Vá lá humanos, vocês não deveriam ser melhores que nós? Se não querem mesmo um cão não tenham um. Nós choramos e mordemos e destruímos coisas. Também vos podemos amar como nenhum humano algum dia amou (inserir muito corações aqui para aumentar emoção).

Não fiquem tristes porque a minha causa mais importante são voces, que estão a ler este texto de uma rafeira mistério, que vos amará sempre.  

Como é que o Congo e todos os teus irmãos adoptivos influenciaram a tua vida?

O Congo é o cão mais bonito do mundo! (É mesmo, nem vale a pena discutir). Ele ajudou-me muito. Ensinou-me a amar cães e pessoas e treinou-me para eu conseguir fazer os olhos mais doces imagináveis. Os meus donos passam-se e dão-me imensos doces, mas eles não precisam de saber. O Congo é maravilhoso, um ursinho preto e fofinho só para mim.

Já fomos família de acolhimento temporário para alguns cães. Todos os miúdos de quatro patas que já viveram na nossa casa pertencem à nossa família para sempre. Eu adoro provocar os meus irmãos e obrigo-os a brincar o dia todo (os meus donos não acham lá muita piada porque fazemos demasiado barulho). Eu e os meus humanos ajudamos os cães a perceberem, com muitos biscoitos deliciosos, que só precisam de um bocadinho de treino para serem grandes companheiros. 


Onde aprendeste a fazer poses tão giras para a câmera?

O Congo ajudou-me imenso no principio. Até me ensinou a fazer aqueles olhos grandes e queridos. Depois os meus donos emprestaram-me um livro do William Wegman e vi uns cães muito engraçados com umas roupas esquisitas. Achei que seria giro se eu, uma rafeira linda e misteriosa, conseguisse fazer as poses ainda melhor que eles. (Não se esqueçam, sou extremamente humilde).

Sigam as aventuras da Samoa: 
Facebook
Instagram

1 comment

  • Diana: June 22, 2016

    Adorei! Obrigada pela partilha

Leave a comment

Junta-te à Matilha

Recebe ofertas e promoções exclusivas e fica a saber de todas as novidades :)